Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

pt PT en EN

Opções de acessibilidade

Início do conteúdo da página

Estrutura Curricular

Publicado: Quarta, 27 de Novembro de 2019, 09h47 | Última atualização em Sábado, 13 de Junho de 2020, 17h45 | Acessos: 408

A estrutura curricular, atualizada e aprovada em 2015 (disponível AQUI), está organizada em disciplinas, seminários e estágio de docência, relacionados à área de concentração e às linhas de pesquisa do mestrado. Essa nova estrutura é resultado das discussões internas da proposta, inclusive contando com a participação da professora Dra. Ana Maria Nogales do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional (PPGDSCI/CEAM/UNB), com reflexão cuidadosa e crítica, considerando novo quadro de professores ingressantes no PDTSA e na Unifesspa e as mudanças nas dinâmicas socioambientais ocorridas no contexto local e extra local, que geraram novos problemas de investigação teórico e metodológico, além da emergência de novas demandas por pesquisas que refletem a realidade regional e nacional, considerando as formas de estruturação do modo de produção capitalista e os processos coloniais de produção do conhecimento. Assim, as questões urbanas e do desenvolvimento das cidades e as questões étnico-raciais e socioambientais são temas que integram disciplinas da nova grade curricular, bem como a criação da disciplina tópicos temáticos, que possibilitou a partir da sua oferta em 2016, a discussão de temas transversais às linhas de pesquisa do PDTSA, reforçando ainda mais o exercício interdisciplinar, no programa. No seu conjunto, avalia-se que essa mudança condiz com as novas abordagens teóricas, culturais e tecnológicas presentes no contexto atual da Universidade, com o ingresso de novos doutores, a partir de 2014.

As Linhas de Pesquisas e suas ementas, entretanto, não sofreram modificações, o que demonstra certa solidez com amplitude de seus conteúdos para a análise do contexto regional em toda sua complexidade. São elas:

  1. Estado, Território e Dinâmicas Socioambientais na Amazônia. Ementa: Investiga a região amazônica nas suas dinâmicas sociais, políticas, econômicas, ambientais e culturais, em sua interatividade com os aspectos globais e regionais da expansão do capital. Analisa as relações entre Estado e sociedade e entre sociedade e natureza, investigando impactos nos processos produtivos agrários e industriais, nas relações sociais de produção e na formação para o trabalho. Estuda formas de ação coletiva, práticas de resistência política, cultural e produtiva e suas implicações na formulação e implementação das políticas públicas.
  2. Produção Discursiva e Dinâmicas Sócio territoriais na Amazônia. Ementa: Estuda representações discursivas das relações que se instauram nas dinâmicas sociais, em suas dimensões políticas, ambientais e culturais na Amazônia. Investiga, na heterogeneidade discursiva, tensões produzidas no jogo das relações de poder e de resistência ou emancipação. Analisa discursos produzidos em esferas institucionais e não institucionais, considerando as contradições próprias das relações entre as dinâmicas sócio territoriais e as formações ideológicas.

As disciplinas agrupam-se em obrigatórias e optativas. As disciplinas obrigatórias abrangem conteúdos comuns às linhas de pesquisa e fornecem fundamentação necessária à construção dos projetos de dissertações, com base na perspectiva teórica e metodológica interdisciplinar, exigindo dos mesmos a mobilização de conceitos, categorias e métodos de estudo, mas que possibilitam explicar fenômenos complexos que possam contribuir à articulação de saberes.

São quatro disciplinas obrigatórias, cada uma delas com carga horária de sessenta (60) horas:

  1. Dinâmicas socioculturais e processos educativos;
  2. Estado e dinâmicas territoriais na Amazônia;
  3. Epistemologia e Procedimentos de Pesquisa Interdisciplinar;
  4. Seminários de Pesquisa Interdisciplinar.

A disciplina Seminário de Pesquisa Interdisciplinar, anteriormente denominada Seminários de Pesquisa, teve aumento de sua carga horária de 30h para 60h, para incorporar os conteúdos necessários ao aprofundamento do debate interdisciplinar, consolidando a reflexão iniciada na disciplina Epistemologia e Procedimentos de pesquisa interdisciplinar. A disciplina tem seu foco na construção de abordagem interdisciplinar no PDTSA, momento em que se exercita, mais fortemente, as práticas interdisciplinares e se fundamenta às discussões teóricas, às linhas de pesquisas e aos projetos de pesquisas. As disciplinas mesclam a partir da orientação da avaliação do relatório quadrienal (2013-2017), participação de pelo menos dois professores vinculados às duas linhas de pesquisas. As disciplinas optativas enfocam conteúdos, em certo sentido, específicos relacionados às linhas de pesquisa, sem, no entanto, deixar de manter diálogos entre ambas as linhas de pesquisa.

São doze disciplinas, cada uma delas com a carga horária de 45h:

  1. Cultura, Ideologia e Processos Educativos;
  2. Teorias de Discurso e Produção Sócio discursiva na Amazônia;
  3. Procedimentos de Análises Discursivas de Questões Socioterritoriais na Amazônia;
  4. Imaginários, Discursos e Colonialidade;
  5. Dinâmicas Sociopolíticas e Culturais das Relações Étnico-raciais;
  6. Tópicos Temáticos;
  7. Dinâmicas Territoriais e Impactos Socioambientais na Amazônia;
  8. Trabalho, Sociedade e Tecnologia;
  9. Agroecologia e Desenvolvimento sustentável na Amazônia;
  10. Estado e Participação Popular na Amazônia;
  11. Território da Ação Local, Atores e Desafios do Desenvolvimento Sustentável;
  12. Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade.

Também, segundo as normas regimentais do programa, os mestrandos podem realizar e creditar disciplinas optativas em outros Programas de Pós-Graduação, com o aceite de seu orientador. A partir de 2017 e com mais intensidade no ano de 2018, as disciplinas optativas têm sido ministradas, conjuntamente, preferencialmente com professores de áreas diferentes. As ementas estão voltadas aos objetivos de aprofundar a compreensão sobre temáticas concernentes às dinâmicas da região amazônica, conforme descrito na proposta do PDTSA e nos projetos e grupos de pesquisas dos seus docentes. A prática pedagógica docente, com ênfase nos fenômenos dos quais se ocupam o programa, prioriza a articulação com sugestão de texto de teorias e métodos, numa perspectiva interdisciplinar, seguindo as definições do primeiro (1º) seminário sobre a incorporação da interdisciplinaridade nas pesquisas do PDTSA, realizado em 2014, reafirmadas com a realização do II Seminário de Produção e Incorporação da Interdisciplinaridade na Concepção da Pesquisa no Programa de Pós graduação em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia, realizado no âmbito da IV Semana Pan-Amazônica com o tema Diálogo Intercultural e Resistência Epistêmica nas Amazônias, em 2017. Em 2018, o PDTSA reconfigurou algumas disciplinas optativas transformando-as também em cursos de extensão. De 05 de março de 2018 à 16de março de 2018 foi realizado o Curso/disciplina “Dinâmicas Sociopolíticas e Culturais das Relações Étnicorraciais – Experiências Afro-indígenas”, com 45 horas de duração. E de 05 de setembro de 2018 ao 17 de setembro de 2018, com carga horária de 45 horas, a disciplina Amazônia: Imaginários, Discursos e Colonialidade em ação expandida tornou-se curso, com a temática “GÊNERO EDIVERSIDADE SEXUAL”. Em 2019, seguindo esta reconfiguração, entre os dias 16 de setembro à 29 de setembro de 2019, foi ofertada a disciplina optativa no formato de curso de extensão “ Cosmo, corpo, cultura: memória e arquivo vivo em culturas africanas em diáspora”, com 45 horas. Em outubro de 2019, o Prof. Luís Mauro não pode ministrar a disciplina Agroecologia em Marabá, sendo necessário assim, reconfigurar o formato da oferta da disciplina. Assim, vários professores participaram da disciplina, sendo os profs. Andréa Hentz, Jerônimo Silva e Silva e Prof. Bernardo do PDTSA, e os professores Fernando Michelotti, da Faculdade de Ciências Agrárias de Marabá, e os Profs. Amintas Lopes e Prof. Rodrigo Muniz, da Faculdade de Educação do Campo. Na ocasião, também aconteceu seminários com integrantes de movimentos sociais e egressos do PDTSA, onde tiveram a oportunidade de apresentarem seus trabalhos de pesquisa.

Para a obtenção do grau de Mestre em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia são necessários trinta créditos, sendo dezesseis créditos relativos às disciplinas obrigatórias, seis créditos relativos às disciplinas optativas e oito créditos relativos à elaboração e defesa da dissertação. O tempo para conclusão do mestrado é de vinte e quatro meses, integralizados em quatro semestres. No decorrer do terceiro semestre, o aluno deverá apresentar e defender seu relatório de qualificação; segundo as normas regimentais, e a defesa de dissertação deverá ser pública e ocorrerá após trinta dias de realizada o seu depósito na secretaria do PDTSA, com uma banca composta por quatro docentes doutores, um deles devendo ser suplente e outro externo ao PDTSA. Destaca-se que todos os orientadores participam das bancas de qualificação e defesas de seus orientandos.

 

---

Conheça a estrutura curricular vigente do início do programa até dezembro de 2015.

 

Fim do conteúdo da página