Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

pt PT en EN

Opções de acessibilidade

Início do conteúdo da página

CEI

Publicado: Sábado, 13 de Junho de 2020, 11h10 | Última atualização em Domingo, 14 de Junho de 2020, 16h44 | Acessos: 106

BANERceii2

O CEI/PDTSA emergiu da relevância de serem formalizadas as ações internacionaisdo Programa, conforme recomendação da CAPES, assim como a criação de um espaço propositivo noque se refere às relações internacionais. Foram discutidos os objetivos centrais e sugeridos, nomes citados a cima, a compor uma Coordenação estruturada por uma docente, um técnico e um discente. Essa comissão, uma vez constituída, encaminhou à coordenação do PDTSA projeto de funcionamento do CEI. Como objetivo geral, aperfeiçoar as ações de internacionalização do PDTSA, fomentando ações e debates alinhados a temáticas circunscritas às Dinâmicas territoriais e sociedade em âmbito internacional. Como objetivos específicos/ações: permitir o acesso de leitores de outros países à produção do PDTSA; realizar oficinas periódicas de abstract, aprimorando os exercícios tradutórios; permitir o acesso de pós-graduando se pesquisadores à produção de outros países; socializar pesquisas de caráter internacional, seja por palestras ou rodas de conversa; realizar estudos de textos em língua estrangeira; auxiliar no uso de plataformas de pesquisas internacionais; aperfeiçoar as condições de escrita acadêmica no interior do programa; realizar oficinas periódicas de abstract, aprimorando os exercícios tradutórios; fortalecer o vínculo com a CLACSO e outras organizações internacionais; estimular o diálogo com Grupos de Pesquisa internacionais; assessorar o programa no estabelecimento e acompanhamento de acordos e convênios internacionais; disponibilizar espaço e recursos para a realização de cursos online oferecidos pelo CLACSO; fortalecer os vínculos relativos à produção acadêmica com os países das Américas, a partir dos acordos de cooperação; vincular alunos estrangeiros do Programa ao Centro de Estudos; socializar pesquisas de caráter internacional, seja por palestras ou rodas de conversa; auxiliar no uso de plataformas de pesquisas internacionais; divulgar, de forma articulada todas as ações relacionadas à internacionalização do programa; criação de site e/ou de mídias sociais voltadas especificamente para a divulgação de ações de caráter internacional; divulgar publicações, intercâmbios e participação em congressos de discentes, docentes e corpo técnico do PDTSA; socializar pesquisas de caráter internacional; Criar acervo da produção internacional do programa. Metodologicamente, o CEI/PDTSA formulou planos de trabalho semestrais. Tais planos foram elaborados buscando ações de cunho multidisciplinar, envolvendo palestras, rodas de conversas, oficinas e estudos de texto planejados pelos integrantes do CEI. Os recursos materiais, para seu funcionamento, foram solicitados ao Programa de Pós-graduação em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia. Ações de acesso a outros recursos serão futuramente tomadas junto a agências de fomento à pesquisa e a comunidade local envolvida com a pesquisa. Foram disponibilizados, como recursos físicos: o uso da sala 01 do PDTSA, com uma mesa de reuniões, uma mesa com computador e um armário com duas portas e a disponibilidade de salas de aula do PDTSA para reuniões de trabalho.

A primeira ação do CEI/PDTSA foi realizada com a conferência do Professor Dr. Maxim Repetto, professor associado da Universidade Federal de Rondônia, e professor no Curso de Licenciatura Intercultural do Instituto Insikiran de Formação Superior Indígena e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Fronteira (PPGSOF) e professor no Programa de Pós-Graduação Ciências da Saúde(PROCISA), “Interculturalidade e educação frente às recentes ameaças contra o exercício dos direitos sociais, na Amazônia Brasileira” realizada no auditório da Unidade I, Campus Marabá, da Unifesspa, em cinco de março de 2018. Com a utilização de aportes teóricos, preferencialmente advindo de pensadores indígenas e negros, participação de pesquisadores externos (Prof. Dr. Maxim Repetto/Prof. Dr. Raymundo Heraldo Maués) e principalmente de lideranças indígenas, quilombolas e da intensa interação do público presente, serão debatidas questões referentes às cosmologias indígenas e africanas antes do processo colonial. Raça, Ciência e Representações eurocêntricas. Racismo, Democracia racial, e a ideologia dobranqueamento: mitos estruturantes na sociedade brasileira. Processos de organização negra: quilombos, irmandades e associações recreativas, culturais, religiosas na Amazônia. Processo de organização indígenas: guerras, associações, estéticas relacionais, xamanismo e alianças na Amazônia. O fundamento do fundamentalismo religioso no Brasil: tensões entre cristianismo(s) e religiões de matrizes africanas e indígenas. O fortalecimento da busca por direitos de negros e indígenas na segunda metade do século XX. Arte e pensamento descolonizador em cosmologias indígenas, africanas e afroindígenas: linguagens e poéticas em experiências; interstícios textuais; caos-mundo; poéticas do caos; crioulização; letras epoéticas da terra. Também destacamos em 2018 a recepção da professora Maria de los Ángeles AriasGuevara, da Universidad de Holguín, Cuba e atualmente bolsista PNPD/CAPES do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Paraná e Coordenadora cubana do Projeto CAPES/MES com a UFPR "Epistemologías en estudios de género en las realidades cubano brasileiras”.No encontro, em 25 de maio de 2018, estiverem presentes as docentes do PDTSA, Hildete Pereira dos Anjos e Edma do Socorro Silva Moreira. O objetivo da Reunião de Trabalho foi a ampliação das relações internacionais do PDTSA, aproveitando a sólida experiência da Professora Maria nesse campo. Foi apresentado à professora Maria Guevara o projeto de trabalho do CEI/PDTSA, aprovado no PDTSA e solicitada sua contribuição crítica. A professora chamou a atenção para a necessidade de consolidar a participação no CLACSO através da disponibilização de textos do PDTSA (dissertações, artigos, livros em pdf), na biblioteca CLACSO. Para tanto, colocou-se à disposição para ajudar a tradução para o espanhol dos resumos de dissertações já disponíveis online, sugeriu a criação de um grupo de trabalho no CEI para essas traduções, envolvendo os mestrandos CAPES/OEA e outros alunos com fluência em espanhol, como Ingrid Fernandes Brandão. Sugeriu também que o Centro começasse a estabelecer relações com a UNILA, que conta com professores de toda a América Latina. Propôs que o Centro estabelecesse relações também com organizações do movimento social que têm vínculos internacionais, como a Pastoral da Terra, Via Campesina e outros, de modo a potencializar a presença de estudiosos ligados a essas organizações. Chamou a atenção para a problemática das lutas por território ligadas às questões da interculturalidade que pode ser uma linha de envolvimento de pesquisadores de outros programas ou mesmo que não estão participando de programas (lideranças, por exemplo); a temática do ecofeminismo, hoje foco de estudos da professora, estão fortemente associadas a essa problemática. A professora sugeriu ainda que fosse convidado, para uma avalição parcial do programa, algum/a pesquisador/aligado/a ao CLACSO, que poderia, além de ajudar a mapear nossas fragilidades, apontar outras possibilidades no campo da internacionalização. Para finalizar, a professora Maria se dispôs a agendar uma palestra via Skype para o Centro, tendo como temática mulheres e agroecologia, que poderia ser coordenada presencialmente, a partir do PDTSA, pelas Professoras Edma Moreira e Idelma Santiago, também do PDTSA. Em 03 de abril de 2018, o CEI/PDTSA recebeu a professora Caroline Parks (Flórida University). A recepção da professora foi possível graças a sua participação em programações e pesquisas em assentamentos e acampamentos em articulação com o MST (Movimento de Trabalhadores Rurais Sem Terra). Na ocasião, com a presença de discente e docentes do PDTSA, professores das faculdades de Educação do Campo, e Ciências Agrárias de Marabá (FCAM), bem como discentes de graduação da FCAM, a temática “Agroecologia: transição de acampamentos para assentamentos” pontuou os debates. Experiências da região foram debatidas e comparadas com problemáticas análogas de outros países.

O PDTSA participou do Seminário Virtual Internacional ESCOLA, INDÍGENAS E ETNICIDADE (SEIE2018-2019) organizado, no Brasil, a partir da Rede Amazônica Interdisciplinar de Programas de Pós-Graduação. Foram três momentos de debates durante 2018. A primeira sessão foi transmitida pelo Centro de Pesquisas e Estudos Superiores em Antropologia Social (CIESAS), México, no dia 21/03, as 13h00, horário de Brasília. A temática, em questão, versou sobre Interculturalidade e Lutas pela Educação na América latina: balanços críticos e cenários emergentes. A segunda sessão foi transmitida da Universidade Federal de Roraima (PPGSOF) em 23 de maio de 2018. A mesma temática da sessão 1 foi debatida, em rede, e por Roraima fomentou diálogos com professores indígenas e grupo de mulheres indígenas da cidade. A terceira sessão do SEIE (Seminário Virtual Internacional ESCOLA, INDÍGENAS EETNICIDADE) partiu da Colômbia, em 05 de setembro de 2018. No Brasil, o horário de transmissão ocorreu 11:45 novamente com a participação de discentes e docentes do PDTSA. Também, aconteceu a defesa de dissertação da mestranda Flávia Madeira, com a participação do professor Mariano Feliz, da Universidad de la Prata (UNLT), como membro avaliador externo.

Em 26 de julho de 2018, a Secretária do PDTSA e também componente do CEI – PDTSA Thayná Passos, esteve visitando na cidade de Porto Alegre, o Centro de Estudos Internacionais em Educação (CEIE) do Programa de Pós-Graduação em Educação da Unisinos. O Centro é um espaço aberto para a interlocução com outros cursos e programas na Unisinos e de outras universidades no país e no exterior. Na oportunidade, a dinâmica do referido Centro, bem como informações sobre redes e projetos de cooperação internacional e dimensões internacionais em projetos de pesquisa foram reconhecidas, a fim de que parte dessas experiências possa compor as futuras atividades do CEI – PDTSA. Desse encontro, houve também a compreensão de que o site do PDTSA, assim como de seu CEI futuramente terão versões em língua espanhola e inglesa, em princípio.

Em 29 de outubro de 2018, o Centro de Estudos Internacionais, a partir do Acordo Geral de Cooperação Técnico-Científica entre o Institut de Recherche pour le développment (IRD) e Unifesspa, realizou apalestra “No País do babaçu: debate sobre usos e sustentabilidade na Amazônia”. Os debates partiram dos professores doutores convidados: Daniela Mitja (IRD), Herve Hey (IRD), Eric Delaitre (IRD) e do técnico administrativo do IEDAR da Unifesspa, o Dr. Aléssio dos Santos Moreira.

O CEI – PDTSA também realizou em 2018 sua I Oficina Escrita de Resumos de Abstract. Com a participação de discentes da turma 2018, especialmente, a atividade referendou a importância de que os resumos estejam extremamente coerentes às recomendações ABNT. Essas orientações tornaram o fazer da tradução coerente às propostas de pesquisas do PDTSA. No que tange a participação de discentes e docentes em eventos internacionais em 2018, destacamos uma ampla participação. A professora Dra. Hildete dos Anjos participou, em Cuernavaca (Morelos, México) no período entre 25 e 27 de outubro de 2018, do X Encuentro Internacional “La educación inclusiva a debate: retos, contradicciones y desafios”. O encontro é organizado, a cada dois anos, pela RedInternacional de Investigadores y Participantes sobre Integración y Educación Inclusiva (RIIE), sediada na Universidad Nacional Autônoma do México. A referida professora é associada à RIIE desde 2011, tendo participado com trabalhos dos encontros de 2011 (Cidade do México, México), 2015 (Medellín, Colombia) 2017 (Valparaíso, Chile) e publicado em livros coletivos oriundos dos encontros. Além de participar das atividades gerais do X Encuentro, apresentou no dia 26/10/2018 o trabalho “Docência em educação especial: autoformação, cuidado e maternagem” em coautoria com Ana Léia Bispo de Souza, egressa do PDTSA (O trabalho é oriundo de sua dissertação de mestrado). Outras ações e desdobramentos dessa viagem ao México foi a proposição e encaminhamento do Primer Encuentro Latinoamericano de Investigación Educativa y del Saber Pedagógico, que ocorreu de 20 a 22 de junho de 2019, na Cidade do México, DF), do qual a Unifesspa (PDTSA) participou como co-promotora e a professora Hildete Pereira dos Anjos, como membro do Comitê Científico internacional. A professora Dra. Edma Moreira participou do: a) IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOCIEDADE EFRONTEIRAS: Interculturalidades, Migrações, Violências e Direitos Humanos: Desafios da pós-graduação na Amazônia: reflexões a partir da área interdisciplinar; b) X Congreso de la Asociación Latinoamericana de Sociología Rural. PROJETOS AMBIENTAIS DE INTERVENÇÃO SOCIAL: CONFLITOS ERESISTENCIAS NOS ESPAÇOS RURAIS; c) X Congreso de la Asociación Latinoamericana de Sociología Rural. Violação de direitos humanos e resistência camponesa na Amazônia Brasileira.

No final de 2018, foram realizadas as primeiras reuniões preparatórias ao IV DCIMA COLOQUIO INTERNACIONAL MÍDIA E DISCURSO NA AMAZÔNIA: INTERCULTURALIDADE E RESISTÊNCIA, que foi realizado na cidade de Marabá (Pará), de 07 A 09 DE AGOSTO DE 2019. Esses encontros tiveram a participação de integrantes dos Grupos de Pesquisa organizadores: o Grupo de Estudos Mediações, Discursos e Sociedades Amazônicas (Gedai), Grupo de Pesquisas em Estudos Culturais da Amazônia(GECA), Grupo de Estudos Interculturais da Amazônia (GEIA), Grupo de Estudos de Discurso e Dinâmicas Amazônicas (GEDDA) e o Centro de Estudos Internacionais (CEI), vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia (PDTSA/Unifesspa), culminando no IV Colóquio Discurso e Mídia na Amazônia – IV DCIMA, com o tema MÍDIA E DISCURSO NA AMAZÔNIA: INTERCULTURALIDADE E RESISTÊNCIA. Nesta edição, e com organização também do PDTSA, o evento teve como objetivo debater a produção acadêmica acerca da relação entre discurso e mídia nos estudos e experiências interculturais que se realizam na e sobre a Amazônia, dentro de um contexto em que se faz imperativa a resistência aos ataques às possibilidades de convivência e diálogo entre os saberes populares, acadêmicos e dos povos originários, experiência ainda jovem e plena depotencialidades. A programação do evento contou com conferências, simpósios temáticos, comunicações individuais e atividades culturais. O conselho científico do evento contou com representantes de universidade brasileiras e estrangeiras.

Ainda no âmbito das atividades do CEI, em 2019 aconteceram as seguintes atividades:

  • Disponibilidade para uso da internet

Entre essas experiências, destacamos a participação do Programa, desde 2014, no Programa de Alianças para a Educação e a Capacitação - PAEC OEA-GCUB, com duas bolsas destinadas ao programa. O objetivo do PAEC OEA-GCUB é “contribuir com a integração e o fortalecimento regional das Américas, por meio da qualificação de estudantes oriundos dos 34 países membros da OEA, em especial daqueles provenientes de países com baixo nível de desenvolvimento humano” Outra experiência importante foi a presença, durante os anos de 2015 e 2016, da Profa. Maria de los Ángeles Arias Guevara, da Universidad de Holguín, Cuba, como bolsista do Programa Nacional de Pós-Doutoramento (PNPD/CAPES), possibilitando o desenvolvimento de atividades conjuntas de pesquisa e ensino. Destacamos ainda nosso ingresso, em 2016, como um dos primeiros programas de pós-graduação da região norte do país a se tornar membro sócio do Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO). Assim, o Centro de Estudos Internacionais (CEI) do PDTSA, tem como objetivo geral aperfeiçoar as ações de internacionalização do PDTSA, fomentando ações e debates alinhados a temáticas circunscritas às Dinâmicas Territoriais e Sociedade em âmbito internacional. Como objetivos específicos: a) permitir o acesso de leitores de outros países à produção do PDTSA; b) realizar oficinas periódicas de abstract, aprimorando os exercícios tradutórios; c) Permitir o acesso de pós-graduandos e pesquisadores à produção de outros países; d) socializar pesquisas de caráter internacional, seja por palestras ou rodas de conversa; e) realizar estudos de textos em língua estrangeira; f) auxiliar no uso de plataformas de pesquisas internacionais; g) aperfeiçoar as condições de escrita acadêmica no interior do programa e realizar oficinas periódicas de abstract, aprimorando os exercícios tradutórios; h) fortalecer o vínculo com a CLACSO e outras organizações internacionais; i) estimular o diálogo com Grupos de Pesquisa internacionais; j) assessorar o programa no estabelecimento e acompanhamento de acordos e convênios internacionais; k) disponibilizar espaço e recursos para a realização de cursos on line oferecidos pelo CLACSO; l) fortalecer os vínculos relativos à produção acadêmica com os países das Américas, a partir dos acordos de cooperação; m) vincular alunos estrangeiros do Programa ao Centro de Estudos; n) socializar pesquisas de caráter internacional, seja por palestras ou rodas de conversa; o) auxiliar no uso de plataformas de pesquisas internacionais; p) divulgar, de forma articulada todas as ações relacionadas à internacionalização do programa; q) criação de site e/ou de mídias sociais voltadas especificamente para a divulgação de ações de caráter internacional; r) divulgar publicações, intercâmbios e participação em congressos de discentes, docentes e corpo técnico do PDTSA; s) socializar pesquisas de caráter internacional; t) criar acervo da produção internacional do programa.

 

 

Fim do conteúdo da página