Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

pt PT en EN

Opções de acessibilidade

Início do conteúdo da página

Infraestrutura

Publicado: Sábado, 13 de Junho de 2020, 10h51 | Última atualização em Sábado, 13 de Junho de 2020, 12h18 | Acessos: 103

Laboratórios

A Unifesspa conta com laboratórios multidisciplinares, com a participação de diferentes áreas do conhecimento. Esses laboratórios estão estruturados com vários equipamentos importantes para a realização de trabalhos científicos interdisciplinares. Dentre eles, podemos citar os laboratórios de informática: Laboratórios do Instituto de Economia e Desenvolvimento Regional que conta com dez computadores; Laboratório de Geografia com três computadores e o Laboratório de Cartografia com quinze computadores. Na Unidade 3 estão disponíveis os laboratórios de Fonética com catorze computadores; o MediaLab com doze computadores; o Laboratório de Economia e Estatística com cinco computadores e o Laboratório de Agronomia, que integra os laboratórios de água, planta e solo, espaço no qual os discentes realizam trabalhos de pesquisa relacionados a qualidade biológica, física e química do solo, bem como a classificação e caracterização morfológica de plantas e dos solos. É importante também ressaltar que os docentes do PDTSA já atuavam em Núcleos-Laboratórios de pesquisa, ensino e extensão distribuídos na Unidade 3 do Campus de Marabá, sede do PDTSA, quando a instituição, ainda na condição de campus universitário, era vinculada à UFPA. Assim, o Programa, em 2012, realizava pelos docentes, também, a promoção de estratégias de integração dos alunos de graduação com alunos do mestrado, nos Núcleos e Laboratórios: Laboratório de ensino, pesquisa e extensão em Ciências Sociais; Núcleo de Educação do Campo (NECAMPO); Núcleo de Arte Educação; Núcleo de Estudos da Linguagem Araguaia- Tocantins (NUCLEART); Núcleo de Agroecologia e Educação do Campo (NAEC), Grupo de Estudos e Pesquisas do Núcleo de Educação Especial(GEP/NEES) e Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Relações Étnico-Raciais, Movimentos Sociais e Educação - N'UMBUNTU/FACED/ICH.

Em 2019, o Laboratório e Núcleo de estudos e Pesquisas em Solos (NEPS) foi criado com o objetivo de aprofundar nos estudos da Ciência do Solo e promover condições de trabalho que possibilitem maior democratização da informação e eficiência na execução dos diversos projetos de pesquisa em temas relacionados com a Ciência do Solo, Impactos Socioambientais e Sustentabilidade Produtiva, por meio da elaboração, acompanhamento e execução dos planos de ação anual e semestral dos respectivos projetos de iniciação científica, coordenados pela professora Dra. Andréa Hentz de Mello. O grupo é composto de professores e alunos das ciências agrárias e áreas interdisciplinares de diversas universidades e centro de pesquisas, a fim de realizar um intercâmbio de conhecimentos entre as áreas afins. A partir desses espaços acadêmicos se desdobraram diversos projetos ligados às linhas de pesquisas do PDTSA. Essa ação de integração mantém-se como uma estratégia privilegiada do PDTSA para atrair graduandos à Pós-Graduação, promovendo a qualificação de futuros profissionais que constituem público em potencial para o mestrado e para o avanço da pesquisa na Amazônia.

Desde 2014, o PDTSA conta com um Laboratório de informática exclusivo para os alunos do Programa, onde há dez computadores distribuídos em sete mesas, com dois lugares cada uma delas, e uma impressora; todos equipamentos com acesso à internet. Em 2015, a Unifesspa criou o Laboratório de Computação Científica (LCC), acessível a toda comunidade acadêmica e através do qual objetiva-se fortalecer as pesquisas das diversas áreas do conhecimento, proporcionando, assim, o fortalecimento de pesquisas de modernos recursos computacionais e em áreas interdisciplinares. O LCC constitui-se num relevante avanço no fazer científico para a Pós-Graduação, por proporcionar a criação de projetos de pesquisa ou extensão, que possam considerar a computação como área de apoio, no que tange aos processamentos de bases de dados, análise de indicadores, séries histórias ou similares que tenham correlação com as linhas de pesquisa existentes no PDTSA.

Recursos de Informática

O PDTSA dispõe de equipamentos e recursos de informática no Laboratório destinado ao uso dos alunos do mestrado, assim como de outros equipamentos móveis disponíveis para instalação nas salas de aula. Tanto no do curso quanto nas duas bibliotecas equipadas com computadores, disponibilizam acesso direto à internet, que hoje, através de Fibra Óptica, por meio da Rede Metropolitana de Marabá, interliga a Unifesspa à Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), via a um link de 1 Gbps; esse link possui nível de qualidade, porém apresenta limites em face da topologia da rede de acesso.

A secretaria e sala de coordenação do PDTSA, assim como sala de professores, são equipadas com computadores, acesso à internet cabeada e sem fio e com impressoras. O Programa dispõe de linhas telefônicas, um notebook e três data show que subsidiam as atividades do curso. O sistema de informática melhorou sobremaneira o acesso à internet na Unifesspa. Com isso, os estudantes têm facilidade de acesso direto à internet nos espaços livres da Universidade, aos periódicos CAPES, assim como, a bibliotecas e outras fontes disponíveis na rede. O Centro de Tecnologia da Informação e de Comunicação (CTIC) tem apoiado no planejamento e na melhor estruturação da infraestrutura tecnológica dos Programas de Pós-Graduação, através dos seus laboratórios de informática, ampliação da cobertura e qualidade da rede sem fio, serviços de telefonia, softwares de ensino e pesquisa, o que vem possibilitando a realização das atividades a distância descritas acima, com a participação de professores e pesquisadores via SKYPE.

Biblioteca

Quando da aprovação do PDTSA, a biblioteca do então Campus Universitário de Marabá (UFPA) era vinculada à Biblioteca Central Clodoaldo Begkman (BCC), que atendia a comunidade universitária deforma presencial e virtual, coordenando o Sistema de Bibliotecas (SIB), com 37 bibliotecas interligadas, incluindo Belém e 10 campi da UFPA, no interior do Estado interligados. O conjunto de bibliotecas da UFPA, em 2012, contava com um acervo de 159.659 títulos e 356.730 exemplares, distribuídos entre Biblioteca Central localizada no Campus de Belém (50.214 títulos e 146.167 exemplares), Bibliotecas Setoriais do Campus de Belém (67.361 títulos e 109.158 exemplares) e Bibliotecas dos Campi do Interior(42.084 títulos e 101.405 exemplares). Todo estudante de graduação ou de pós-graduação possuía matrícula única que lhe dava acesso a exemplares em todas as bibliotecas. Além disso, existia um sistema interno de empréstimo de livros entre bibliotecas, permitindo que o estudante pudesse acessar obras em bibliotecas de outros Campi, a partir da biblioteca de Marabá.Com a criação da Unifesspa, em 2013, as duas bibliotecas setoriais existentes no campus universitário da UFPA foram incorporadas à estrutura da universidade, atendendo à Graduação e à Pós-Graduação.

Atualmente, as unidades 1 e 2 de Marabá disponibilizam acervo bibliográfico multidisciplinares, constituído por diversas áreas disciplinares distribuídas conforme os cursos existentes na instituição: a Biblioteca Setorial Josineide da Silva Tavares (BSJST), cujo acervo volta-se para os cursos de: Ciências Sociais ,Direito, Educação do Campo, Engenharia da Computação, Engenharia Elétrica, Geografia, Pedagogia, Sistemas de Informação, Artes Visuais, Ciências Econômicas, História, Língua Inglesa, Língua Portuguesa e Psicologia. Enquanto que, o acervo da Biblioteca II (BIBII) está voltado para os cursos de: Ciências Naturais, Engenharia Civil, Engenharia de Materiais, Engenharia de Minas e Meio Ambiente, Engenharia Mecânica, Engenharia Química, Física, Geologia, Matemática, Química, Agronomia, Saúde Coletiva e Ciências Biológicas.

Em 2017, cria-se na Unidade 3 do Campus de Marabá, sede do PDTSA, a terceira biblioteca, que vem atender agora os cursos de Letras, Ciências Econômicas, Língua Inglesa, Língua Portuguesa, Psicologia, História, Agronomia, Artes, Saúde Coletiva, Ciências Biológicas e os cursos de Pós-Graduação em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia e os mestrados acadêmico e profissional em Letras. No período de 2013 a 2018, a comunidade acadêmica foi favorecida com a ampliação do número de títulos nas bibliotecas acima citadas. Destacam-se que esse crescimento pode ser visualizado a partir das oito áreas (08) disciplinares que estruturam o acervo. São elas: Ciências Exatas e da terra: a quantidade de títulos no período foi de 1.333 e a quantidade de exemplares no período foi de 6.357; Ciências Biológicas: a quantidade de títulos no período foi de 259 e a quantidade de exemplares no período foi de1.021; Engenharias: a quantidade de títulos no período foi de 343 e a quantidade de exemplares no período foi de 1.550; Ciências da Saúde: a quantidade de títulos no período foi de 147 e a quantidade de exemplares no período foi de 526; Ciências Agrárias: a quantidade de títulos no período foi de 234 e a quantidade de exemplares no período foi de 552; Ciências Sociais Aplicadas: a quantidade de títulos no período foi de 3.655 e a quantidade de exemplares no período foi de 9.287; Ciências Humanas: a quantidade de títulos no período foi de 2.319 e a quantidade de exemplares no período foi de 6.458;Linguística, Letras e Artes: a quantidade de títulos no período foi de 2.051 e a quantidade de exemplares no período foi de 5.010. Esses dados demonstram um acervo constituído com um total de Títulos em todas as áreas, no período de 2013 a 2016, de 10.341, enquanto o total de Exemplares em todas as áreas, no período de 2013 a 2018, passou para o crescimento exponencial de 50.574 exemplares.

Vale ressaltar que até 2014, nas bibliotecas os serviços técnicos e a rede eram gerenciados pelo software Pergamun, mas a partir de 2015, todo esse sistema passou para o Programa de Gerenciamento do Sistema Institucionais Integrados de Gestão (SIG - Sistema Integrado de Gestão de Atividade Acadêmica (SIGAA). A área de concentração do PDTSA, exige bibliografias de diferentes áreas do conhecimento, por isso mesmo as duas bibliotecas são referências para o mestrado. Em 2017, com a inauguração da Biblioteca na Unidade 3 do Campus de Marabá da Unifesspa, o acervo de títulos aumentou em todas as áreas do conhecimento descritas em 2016, concentrando nesta biblioteca as obras relacionadas aos cursos oferecidos na Unidade III, como Ciências Agrárias, Ciências da Saúde, Saúde Pública, História, Letras, Artes e Economia, representando um aumento de 20% no acervo total. Somente nessa biblioteca, em dados de 2018, há 4.411 títulos e 13.499 exemplares.

Em 2019, o número de títulos passou para 14.832, representando um aumento de 9,89%. Além do acesso ao acervo das três bibliotecas, os alunos dispõem de acesso direto ao Portal de Periódicos CAPES, disponível na Unidade I, a partir de uma senha cadastrada na biblioteca. O uso do portal de periódicos CAPES vem se constituindo como uma grande possibilidade de acesso à produção diversificada, atual e internacional. O aumento do número de títulos nas bibliotecas dos Campi de Marabá tornou o acervo mais dinâmico e diversificado, entretanto, ainda há déficit considerável principalmente nas áreas de Ciências Biológicas e da Saúde por se tratar de cursos recém criados.

Há computadores disponibilizados nas bibliotecas das Unidades I, 2 e 3 do Campus Marabá da Unifesspa, também com acesso à internet em onze unidades, na biblioteca da Unidade 1 e com nove computadores na biblioteca da Unidade 2 e seis na Unidade 3, todos no Campus Marabá. Todos os estudantes de graduação ou de Pós-Graduação possuem uma matrícula única que lhe dá acesso a empréstimo em todas as bibliotecas. Além disso, existe um sistema interno de empréstimo de livros entre bibliotecas, permitindo que o estudante possa acessar obras disponíveis nas bibliotecas dos demais Campi da Universidade nos municípios de São Felix do Xingu, Santana do Araguaia, Xinguara, Rondon do Pará, através do SIGAA.

Outras informações

Desde 2014, o PDTSA dispõe de uma estrutura física composta de uma sala destinada à Coordenação e à secretaria; um laboratório de informática disponível para os estudantes com internet e uma impressora; uma sala de professores com dois computadores e um mini acervo bibliográfico. Duas salas de aula, cada uma com dimensões de 48,19m² e uma sala multiuso utilizada como mini auditório, na qual ocorrem as defesas de dissertação, palestras, orientações e reuniões. As três salas disponíveis para o programa são recém-construídas e contam com aparelhos de ar condicionado e internet. Todos esses espaços são compartilhados com a graduação e outros setores da Unifesspa, mas a prioridade é para o PDTSA.

A coordenação demandou, da administração superior, a criação de uma biblioteca setorial específica para o curso, proposição que se consolidou em 2018 com a criação da nova biblioteca setorial da Unidade III da Unifesspa, espaço que abriga o Programa. Em dezembro de 2017, uma das salas de aula foi transformada no Centro de Estudos Internacionais (CEI) do PDTSA, recebendo equipamentos como armários, gaveteiros, mesa para reunião, cadeiras, estruturação mínima ao funcionamento do referido Centro para 2018. Em 2018, o referido espaço, já abriga planejamento e atividades as quais já foram descritas nas ações de internacionalização do CEI do PDTSA.

 

Fim do conteúdo da página