PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO
DINÂMICAS TERRITORIAIS 

E SOCIEDADE NA AMAZÔNIA

 

 

O Programa de Pós-Graduação em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia (PDTSA) da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) recebeu a visita do coordenador adjunto de área Interdisciplinar da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Prof. Dr. Djalma Thürler. Foram três dias, no período de 9 a 11 de março, dedicados a reuniões com todos os segmentos: coordenação, discentes, docentes do PDTSA e, ainda, com a Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Propit) e coordenadores de outros programas de pós-graduação da Unifesspa. Na visita, o Prof. Djalma Thürller também participou da recepção da 9ª turma do PDTSA, proferindo a Aula Inaugural “A sensação de se perder em uma torrente humana”.

Coordenador Adjunto Acadêmico da Câmara II - Sociais e Humanidades, da Área Interdisciplinar da Capes, o Prof. Dr. Djalma Thürler discutiu com os segmentos questões voltadas às competências da área e o papel de cada um para o desenvolvimento da pós-graduação e, principalmente, no PDTSA, que está em seu último ano de avaliação quadrienal. “Eu acho que o status do PDTSA é muito otimista. Trabalhamos em cima de métrica do programa de 2017 e 2018 e verificamos que o programa tem cumprido com as regras que a Capes exige com relação à produção e impacto social. Tem um ou outro detalhe – e é quase isso – que precisamos ajustar nesse ano que vai iniciar e acho que, assessorado pela coordenação a partir de decisões estratégicas, esses pontos podem ser melhorados para criar uma expectativa real na avaliação quadrienal. Essa é a minha impressão”, avaliou o coordenador.

Criado em 2012, o PDTSA recebeu conceito 3 na avaliação quadrienal 2013-2017. Foram pontos positivos nessa avaliação a inserção social do programa em suas ações e pesquisa, seus acordos de cooperação nacionais e internacionais e o acesso a informações. No entanto, aponta a necessidade de melhorar no alinhamento entre os docentes em disciplinas e projetos de pesquisa e na qualificação da produção docente e discente.

“Essa semana foi importante porque o professor Djalma energizou a coordenação do PDTSA com a apresentação das métricas de avaliação do trabalho desenvolvido desde 2017. É possível alcançar o conceito 4 para esse programa e pensar na concreta possibilidade de submeter uma proposta de doutorado. As recomendações referentes ao alinhamento entre discentes e docentes nas atividades em sala, pesquisa e publicações já estão sendo executadas e apareceram nas métricas. Mas, precisa haver uma política institucional, para além da coordenação do PDTSA porque o conceito 4 é um esforço coletivo”, disse o coordenador do PDTSA, Prof. Dr. Hiran Possas.

Em reunião com a Propit e programas de pós-graduação da Unifesspa, outras recomendações também foram levantadas pelo coordenador adjunto de área interdisciplinar da Capes. “Há um problema macroestrutural: a carga horária dos professores. É preciso equilibrar de maneira mais justa o que eles significam à universidade já que professores com dedicação exclusiva são pesquisadores de ponta, pessoas responsáveis pela mudança da sociedade. Estamos usando esses professores de maneira muito desgastante na sala de aula. E sobra pouco fôlego para que eles, junto com seus alunos, trabalhem em pesquisa. Não devem sair da graduação, mas precisam urgentemente diminuir a carga horária. E isso é uma questão macroestrutural porque depende do Governo Federal, de criação e ampliação de vagas, e isso é um desafio que a gestão da Unifesspa precisa enfrentar se quiser de fato prever cursos com nota 4 e cursos de doutorado. Dessa semana, fica esse mapeamento com desafios a serem enfrentados”, concluiu Thürller.

Para a Profa. Dra. Cindy Fernandes, pró-reitora de pesquisa, pós-graduação e inovação tecnológica da Unifesspa, a visita do Prof. Dr. Djalma Thürler aponta medidas necessárias para alcançar a excelência na pós-graduação. “Foram discutidas ações importantes na reunião, como o funcionamento da autoavaliação dos programas, seus requisitos básicos, pontos descritivos e decisivos desse instrumento. E, ainda, como a instituição também participa nessa colaboração mútua. A Unifesspa tem trabalhado junto à Capes, Fapespa e outras fundações, tanto por meio do financiamento das pesquisas, como também no apoio a insumos e espaços físicos, apoio à realização e participação em eventos, publicações, para alcançar a excelência”, falou a pró-reitora.

Notícias e Eventos

Defesas de Dissertação