Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

pt PT en EN fr FR es ES

Opções de acessibilidade

Início do conteúdo da página

Intercâmbios Nacionais

Publicado: Sábado, 13 de Junho de 2020, 19h43 | Última atualização em Quinta, 06 de Mai de 2021, 08h18 | Acessos: 78

Intercâmbios Nacionais

A relevância da Amazônia para o avanço científico nacional e internacional, por meio de Pós-Graduação que reflita sobre a realidade local em sua relação extra local, tem sido objeto de ações dos Reitores e Pró-Reitores de Universidades do Norte do Brasil, inclusive por meio da Rede Amazônica de Pesquisa Interdisciplinar (RAPI): cooperação institucional envolvendo instituições de ensino superior “com vistas à realização de ações comuns ou de colaboração no campo do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestão, quando assim houver por bem acordado o conjunto das convenentes, parte dele ou mesmo duas dentre as entidades, favorecendo-se, dessa maneira, iniciativas bilaterais, trilaterais ou multilaterais, conforme o caso, tudo em favor do fortalecimento institucional dos pares, do desenvolvimento da ciência, da tecnologia, da inovação e da melhoria da qualidade de vida da sociedade paraense e da Região Amazônica”.

Em 2016, cinco Programas de Pós-Graduação da região Norte do Brasil, da área interdisciplinar, reuniram-se, com apoio da RAPI, no “I Simpósio dos Programas de Pós-Graduação na área Interdisciplinar do Norte” e construíram a Rede Amazônica Interdisciplinar de Programas de Pós-Graduação em Culturas, Territórios e Fronteiras, coordenado pela Professora Edma Moreira Silva, cujo o propósito foi a elaboração de uma proposta para a criação de um Doutorado em Associação, são eles: Programas de Pós Graduação em Estudos de Cultura e Território (PPGCULT/UFT), Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia (PDTSA/Unifesspa), Sociedade e Fronteira (PPGSOF/UFRR), Programa Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH/UEA), Linguagens e Saberes na Amazônia (PPLSA/UFPA). Em continuidade de ações dessa rede, em 2018, dois novos programas integraram: o programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia (PPGEAA), vinculado ao Campus de Castanhal da Universidade Federal do Pará (UFPA), criado em 2017 e o Programas de Pós-Graduação em Ciências da Sociedade (PPGCS), da Universidade do Oeste do Pará, criado em 2015. Essa adesão amplia e fortalece a parceria e os objetivos para os quais a Rede fora constituída. Ainda em 2018, o Programa Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH/UEA) e Linguagens e Saberes na Amazônia (PPLSA/UFPA) retirou-se da Rede.

Fora realizado o V encontro da Rede Internorte no quadro do IV Seminário Internacional Sociedade e Fronteiras, em Boa Vista-RO, nos dias 23 e 24 de outubro de 2018, com o propósito de discutir e planejar ações anuais com vistas a construção de pesquisas, extensão e um doutorado em Associação entre as instituições parceiras. O doutorado em associação é uma das metas estabelecida desde seu primeiro encontro em Marabá, em 2016. A palestra de abertura desse evento foi proferida pela coordenadora da Rede, docente do PDTSA, Edma Silva Moreira, e teve como tema “Desafios da Pós-graduação na Amazônia: reflexões a partir da área interdisciplinar”, resultado das reflexões sobre o contexto da área interdisciplinar na região Norte e a justificativa de um doutorado em Associação que aborde as questões contemporâneas candentes na Amazônia, como por exemplos, o desmatamento e seus impactos à sociedade e a natureza, as relações de poder e as ameaças dos projetos de “desenvolvimento” aos territórios construídos, as resistências e lutas sociais. Outras ações ocorridas foram as apresentações dos projetos aprovados no edital PROCAD-AM. Esse edital marca uma importante oportunidade para o desenvolvimento de pesquisas na Amazônia, em interação com universidades de outras regiões do país, fortalecendo e ampliando os grupos de pesquisadores e/ou construindo e fortalecendo novos temas de pesquisa. Os Procads apresentados foram: “Estado e Políticas Sociais nas Amazônias: diálogos críticos sobre apropriação de territórios e recursos naturais, mobilidades humanas e desestruturação de sistemas de conhecimento, coordenado pela Unifesspa em parceria com a UFRR e a UENF. O projeto coordenado pela UFT, em parceria entre a UFPA e a UFMG, intitulado “Economia e cultura dos comuns: práticas e espaços de alternativas de desenvolvimento na Amazônia”, foi o segundo. Em seguida a UFPA expôs o projeto “Indicadores antrópicos: fatores socioambientais e patrimoniais na tradução de índices de antropização em povos e comunidades amazônidas”, em parceria com a UEA e a UFSC. A avaliação final aponta que a Rede tem muitos desafios a enfrentar, como por exemplo, as distâncias territoriais e todo os percalços que, nós pesquisadores, enfrentamos ao fazer pesquisa na Amazônia. Reconhecemos que a ampliação das parcerias favorece ao avanço profícuo da pesquisa, extensão e do ensino, em nível de pós-graduação, ainda profundamente assimétricos em nível nacional. A Rede Internorte vem se empenhando na construção de um trabalho em parceria para o fortalecimento dos seus programas com alianças institucionais, nacionais e internacionais, que permitam uma melhor qualificação de recursos humanos para atuar na Amazônia.

Ainda nos anos de 2016 e 2017 várias formas de trocas institucionais foram realizadas no âmbito de projetos de pesquisa com outras instituições de ensino, pesquisa, em eventos e em coorientações de mestrandos e doutorandos oriundos de outros programas de Pós-graduação e, às vezes egressos do mestrado. Os docentes assumem lideranças ou apenas participam dessas frentes de ações institucionais que se tornam cada vez mais presente no PDTSA, sobretudo em participação em conselhos científicos, como pode ser observado a seguir:
Com o Núcleo de Estudos em Desenvolvimento Rural da UFPA, através do projeto de pesquisa “NÚCLEO DE ESTUDOS AGROECOLÓGICOS AJURI – NEA AJURI: Espaço de formação interdisciplinar para o fortalecimento da agricultura familiar Amazônica gerando a publicação do artigo científico intitulado “Caracterização Química, Física e Morfológica do Solo em área de assentamento da agricultura familiar” publicado na Revista Enciclopédia Biosfera. Em 2017, seguiu-se com as publicações, destacando-se as publicações da Revista Enciclopédia Biosfera a)“AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO DE MUDAS DE JENIPAPO ( Genipa americana L), INOCULADAS COM FUNGOS MICORRÍZICOS ARBUSCULARES”. b) “AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO E DEPENDÊNCIA MICORRÍZICA DO JATOBA ( Hymenaea courbaril L.)”. c) AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO DO PARICA ( Schizolobium parahyba var. amazonicum (Huber ex Ducke) Barneby) INOCULADO COM FUNGOS MICORRÍZICOS ARBUSCULARES.”
Na mesma perspectiva, continua a parceria com o Núcleo de Estudo de Ideologias e Lutas Sociais (NEILS), relação estreita, através da Professora Célia Congilio, com pesquisadores que atuam em diversas Universidades no país e estrangeiras. O NEILS edita a Revista Lutas Sociais e em 2016. O egresso do PDTSA Renato Noronha Martins e a professora Dra. Célia Congilio publicaram o artigo “Educação como estratégia e controle do capitalismo no sudeste paraense”. A revista teve um lançamento promovido em Marabá, em conjunto com o PDTSA, a Faculdade de Ciências Sociais, o GEPEMSSP e o NEILS, com a participação do Prof. Dr. Lúcio Flávio Rodrigues de Almeida, PUC-SP (coordenador do NEILS).
Através dos Programas de Pós Graduação em Engenharia Elétrica (UFPA), Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido (PPSDTU), Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais (PPGCSOC), Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) e Delegacia Federal do Ministério do Desenvolvimento Agrário no Estado do Pará (DFDA/PARÁ), gerou-se o projeto “Desenvolvimento de competências e formação de recursos humanos em recuperação de áreas degradadas em projetos de assentamentos em áreas Amazônicas”. Dessa experiência colaborativa foi construída a Dissertação de Andreza Angélica Frota Gama intitulada “Desmatamento no Assentamento 26 de março em Marabá em busca de alternativas agroecológicas aliadas a educação ambiental” e da discente Francilete Souza de Almeida com o título “Assentamentos Rurais no Sudeste Paraense: Novos Territórios Rurais e a Pluriatividade como Estratégia de Reprodução Social no P.A Belo Vale, Marabá- PA”. Desta parceria também foi possível a elaboração e apresentação do trabalho intitulado “Estudo do desmatamento no Assentamento 26 de Março em Marabá - PA e propostas mitigadoras de controle aliada a educação ambiental”, apresentado no IV Seminário Internacional de Ciências do Meio Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia, ocorrido entre os dias 19 e 22 de setembro de 2016 em Manaus – AM e o trabalho Reprodução Social em Territórios Rurais no Sudeste do Pará, apresentado no VII Encontro da Rede de Estudos Rurais: Olhares conflitantes sobre o mundo rural: Territorialidades, Conhecimentos e Ações de Desenvolvimento, Natal/RN.

Em 2017, também ocorreram publicações, como os resumos expandidos a) “DIVERSIFICAÇÃO DA PRODUÇÃO E SEUS EFEITOS NO ASSENTAMENTO PIQUIÁ I - MARABÁ/PA”. In: IV Semana Pan Amazônica: Dialogo Intercultural e Resistência Epistêmica nas Amazônias, Anais do Seminário Produção e incorporação da interdisciplinaridade na concepção da pesquisa no programa de pós graduação em dinâmicas territoriais e sociedade na Amazônia. B) Caracterização de Sistemas Extrativistas do Lote 41 no projeto de Assentamento Pimenteira. In: IX Encontro Amazônico de Agrárias, Extensão Rural: Perspectivas para o desenvolvimento na Amazônia. C) Análise dos impactos socioambientais decorrentes da instalação da UHE de Marabá no PA Araras e Propostas de Migitação. In: II Encontro da Pós Graduação. D) Avaliação de Sistema agrossilvipastoril implantado de forma participativa em unidade de produção familiar. In: II Encontro da Pós Graduação.

Com a Embrapa e CNA, através do projeto Proteção e Uso Sustentável de Paisagens dos Biomas Brasileiros - Subprojeto: Avaliação de espécies arbóreas forrageiras inoculadas com fungos micorrízicos arbusculares, vários trabalhos foram publicados em eventos nacionais, entre eles: a) Qualidade do solo na área de Reserva Legal da Fazenda Cristalina após a implantação de espécies florestais nativas, apresentado entre os dias 16 à 20 de outubro de 2016 na Fertbio; b) Avaliação do desenvolvimento de mudas de Jatobá (Hymenaea courbaril L) inoculadas com fungos micorrízicos e escória de siderúrgica, apresentado entre dias 16 à 20 de outubro de 2016 na Fertbio; c) Avaliação do desenvolvimento do mogno (Swtetenia macrophylla) inoculado com fungos micorrízicos arbusculares, apresentado entre os dias 16 à 20 de outubro de 2016 na Fertbio; d) Colonização micorrízica da andiroba, sapucaia e jatobá introduzidas em área degradada da Fazenda Cristalina, apresentado entre os dias 16 à 20 de outubro de 2016 na Fertbio; e) Ocorrência de organismos em diferentes espécies de capim como indicadores da qualidade biológica do solo, apresentado entre os dias 16 à 20 de outubro de 2016 na Fertbio. Também foi publicado o artigo “Effect of arbuscular mycorrhizal fungi on the essential oil composition and antioxidant activity of black pepper (Piper nigrum L)”, publicado no periódico International Journal of Applied Research in Natural Products. Em 2017 a publicação do artigo na Revista Terceira Margem Amazônia intitulado “ Populações Tradicionais, Modernização na Amazônia e as Quebrdeiras de Coco Babaçu no Municipio de São Domingos do Araguaia – PA”.

Em 2018 estes intercâmbios intensificaram-se com os grupos de pesquisa liderados pelas professoras Andréa Hentz de Mello e Rosana Maneschy e entre os programas de pós graduação, o PDTSA e o NUMA da UFPA, ocasião em que a professora Dra. Andréa Hentz de Mello, coordenou as atividades de treinamento do discente do Programa de Pós-graduação em Gestão dos Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia (PPGEDAM) Igor Luiz Fernandes Corrêa; no âmbito do projeto de pesquisa “Proteção e Uso Sustentável de Paisagens dos Biomas Brasileiros - Projeto Biomas, no Sub-projeto: Avaliação de espécies arbóreas forrageiras inoculadas com fungos micorrízicos arbusculares”. Tais atividades compõem o plano de trabalho de Residência Ambiental do mestrando. Ainda no âmbito da cooperação e intercâmbio, três trabalhos técnicos foram publicados, durante o treinamento do discente a saber: a) MANESCHY, R. Q. ; Hentz, A. M ; LUNZ, A. M. ; CORREA, I. L. F. ; MELO, L. E. L. ; SANTOS, S. F. . Avaliação da forragem e da madeira produzida por árvores de ocorrência espontânea em pastagens na Amazônia. 2018. (Boletim Técnico). B) MANESCHY, R. Q. ; Hentz, A. M ; LUNZ, A. M. ; CORREA, I. L. F.; MELO, L. E. L.; GUAJAJARA, E. P. V. ; CALANDRINI, M. R. L.; SANTOS, G. O.; MATOS, T. S. ; BOLDT, J. L. ; CARVALHO, G. G. . Avaliação da madeira e análise de solo sob árvores de ocorrência espontânea em pastagens na Amazônia. 2018. (Boletim Técnico). C) MANESCHY, R. Q.; Hentz, A. M ; LUNZ, A. M. ; GEYER, R. A. ; FEITOSA, N. K. ; SILVA JUNIOR, D. R. C. Avaliação da forragem produzida por árvores de ocorrência espontânea em pastagens na Amazônia. 2018. (Boletim Técnico).
Coorientações: mestranda Priscila Batista Miranda do curso de Pós-Graduação Mestrado em Agroecologia e Desenvolvimento Rural da Universidade Federal de São Carlos, Campi de Araras – SP. A mestranda realizou todo o trabalho de campo de sua dissertação no campus Universitário da Unifesspa, nas dependências da Faculdade de Ciências Agrárias de Marabá e no PDTSA. A sua qualificação ocorreu em dezembro de 2016, e o artigo intitulado “Fungos Micorrízicos Arbusculares como Promotores de Crescimento de Porta-Enxertos de Citros” foi submetido para a revista de Fruticultura, de acordo com os requisitos para a defesa de Dissertação do Programa de Pós-Graduação e aceito pela revista em dezembro de 2017, devendo ser publicado na edição de abril de 2018. A defesa de dissertação da mestranda aconteceu em agosto de 2017.
A doutoranda Joyce Ikeda, egressa do PDTSA, hoje cursa seu doutorado no Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas na UFMA e que está sob a coorientação da Professora Dra. Célia Congilio.
Também, ocorre a Coorientação do doutorando Rodrigo da Silva Maia do curso de Pós-Graduação Doutorado em Ciências Ambientais da UFPA, pela professora Andrea Hentz de Mello. A coorientação foi efetivada em dezembro de 2016 e no dia 9 de fevereiro de 2017 aconteceu a primeira qualificação do doutorando com a defesa do projeto de pesquisa intitulado Atividade de Microrganismos do Solo Associada à Dinâmica do Fósforo: Interações Edafoclimáticas em Sistemas Agroflorestais com Palma de Óleo na Amazônia. Em 2018 a professora Dra. Andréa Hentz de Mello participou da segunda banca de Rodrigo Maia da Silva, com o tema “ MICORRIZAS ARBUSCULARES E DINÂMICA DO FÓSFORO NO SOLO EM SISTEMAS AGROFLOR ESTAIS COM PALMA DE ÓLEO NA AMAZÔNIA” 2018. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências Ambientais) - UFPA. Ainda com a participação de vários pesquisadores de outros programas de pós graduação, a professora Andréa Hentz participou em 2018 da banca de defesa de dissertação de mestrado do discente Antonio Ozenilto de Sousa Lima, com o trabalho “Respostas de Paricá e Clones de Eucalipto à Inoculação de fungos Micorrízicos e Rizobactérias em Área de Neossolo Quartzarênico em São Domingos do Araguaia-PA. 2018. Dissertação (Mestrado em CIÊNCIAS FLORESTAIS) - Universidade Federal Rural da Amazônia.

Em relação a pesquisas sobre a atuação do capital na contemporaneidade na América Latina foi resultado um novo estágio de capacitação que aconteceu , em 2017, em La Plata para fins de consolidação da pesquisa sobre extrativismo e neoliberalismo na América Latina.
Parceria com a Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação Interdisciplinar em Sociais e Humanidades (Aninter). Através do Congresso Internacional Interdisciplinar em Sociais e Humanidades ocorrido entre os dias 23 à 25 de novembro de 2016 em Brasília, no qual a Professora Andréa Hentz de Mello proferiu uma palestra intitulada “Dinâmicas Territoriais de Ocupação na Amazônia e impactos socioambientais”, e foi convidada e eleita para compor a diretoria da ANINTER, como conselheira fiscal. Em 2017 a participação aconteceu novamente juntamente com a professora Edma Moreira da Silva, onde participaram do VI Congresso Internacional Interdisciplinar em Sociais e Humanidades (CONINTER) realizado na Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa, entre os dias 1 e 4 de novembro de 2017. Na oportunidade as professoras também participaram da reunião do Conselho da diretoria da Aninter, onde assinaram a Carta de João Pessoa endereçada a coordenação de área da CAPES e da I Reunião de coordenadores de Pós-Graduação Interdisciplinar.
Parceria com os Grupo de pesquisa Práticas Discursivas: Narrativas, Saberes e Resistência Cultural- coordenado pelas pesquisadoras Nilsa Brito Ribeiro e Hildete Pereira dos Anjos Por ocasião do evento do I Congreso Internacional De La Asociación Latinoamericana De Estudios Del Discurso (ALED), membros da linha de pesquisa 2 do programa - “Produção Discursiva e Dinâmicas Socioterritoriais na Amazônia, estabeleceram contato com pesquisadores de duas universidades brasileiras, resultando desta ação a realização do Seminário: Análise de discurso: Dinâmicas territoriais e Sociedade na Amazônia, o qual contou com a participação da Profa. Dra. Maria do Rosario Gregolin (UNESP/Araraquara/SP) e da Profa. Dra. Ivânia dos Santos Neves (UFPA). Neste seminário de intercâmbio, mestrandos e egressos vinculados à linha 2 do Programa apresentaram resultados de suas pesquisas finalizadas ou em andamento, assim como apresentaram ao programa informações sobre a sua inserção no mercado de trabalho, sobretudo os egressos. Encontra-se em fase de preparação a edição de um livro que resultará deste intercambio. O encontro de pesquisadores do PDTSA com demais pesquisadores no Congresso da ALED/Argentina proporcionou, ainda, o contato com a Profa. Dra. Kátia Menezes de Souza, do Programa de Pós-Graduação Letras e Linguística da UFG, cujo impacto foi a participação da pesquisadora na banca de qualificação e de defesa da discente Ingrid Fernandes Gomes Pereira Brandão, em 2017. A professora Dra. Nilsa Brito Ribeiro participou de duas bancas de defesa de mestrado e de uma banca de qualificação e defesa no Programa de Educação da Universidade do Triângulo Mineiro, todas elas resultantes de intercâmbios com dois professores destas duas instituições: Prof. Dr. Thomas Massao Farichild (UFPA) e Profa. Dra. Marinalva Vieira Barbos (UFT), ambos integrantes da rede nacional e internacional de pesquisadores à qual se vincula a docente. Ainda resultante do intercâmbio com a UFPA, a convite do Prof. Dr. Thomas Massao Farichild, ministrou minicurso no V Seminário Internacional de Estudos Linguísticos e Literários da Amazônia, realizado na UFPA, Belém, no período de 08 a 11 de novembro de 2016. Em 2018 a professora Nilsa participou da banca de defesa de dissertação de mestrado de Rosiane Maria da Silva Coelho, com o trabalho intitulado “ 2018. Dissertação (Mestrado Profissional em Letras em Rede Nacional) - Universidade Federal do Oeste do Pará. Participou também da banca de defesa de Doutorado de Silvanete Pereira dos Santos, com o trabalho intitulado “A Licenciatura em Educação do Campo no Estado de Roraima: contribuições para a escola do campo”. 2018. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de Brasília.
Ainda com resultado de relações de intercâmbios, a docente integrou, em 2016, o Comitê Científico do III COLÓQUIO INTERNACIONAL MÍDIA E DISCURSO NA AMAZÔNIA – Discurso e contemporaneidade: histórias, espaços e subjetividades e do II Seminário Nacional GPELD – Linguagens, discursos e práticas culturais. Resultou desse intercâmbio a participação da docente em Banca de qualificação de uma docente do Programa de Letras da Universidade Federal do Maranhão. Decorreu, também, do intercâmbio formalizado através da participação da docente no Projeto de Pesquisa “Educação do Campo e Educação Superior: uma análise de práticas contra-hegemônicas na formação de profissionais da Educação e das Ciências Agrárias nas regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte” (Unb/UFPA/Unifesspa/ UFSE- OBEDUC/CAPES), a participação da docente em duas bancas de qualificação de doutorado, Na UNB, Port. 035/2016.
O professor Dr. José Anchieta de Araújo participou em 2017 da banca de exame de qualificação de doutorado em saúde e produção animal na Amazônia, da Universidade Federal Rural da Amazônia, da doutoranda Janaína de Cássia Braga Arruda, com o tema “Uso de ingredientes alternativos na alimentação de frango de crescimento lento”.

O professor Dr. Hiran de Moura Possas participou em 2017 da banca de defesa de doutorado da discente Edna Sousa Cruz, do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal do Tocantins, com a tese intitulada “Yes! Temos professores com Formação nos EUA! narrativas de professores de inglês intercambistas do programa fullbright”. Participou também da banca de qualificação de doutorado de Nilsandra Martins de Castro, do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal do Tocantins com o trabalho intitulado “Histórias de vida e de formação de acadêmicos homossexuais da UFT”.
Em 2018, o professor Dr. Hiran de Moura Possas participou da banca de defesa de dissertação de Elis Regina Costa, com a temática “ A Leitura Literária na sala de aula: a narrativa fantástica contribuindo para a formação de leitores”. Dissertação (Mestrado em Mestrado profissional em letras) - Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará. Também participou da banca de defesa de tese de Nilsandra Martins de Castro, com a temática “ Histórias de in/exclusão na escola: análise semiótica de histórias de vida e de formação de acadêmicos homossexuais da UFT” Tese (Doutorado em Programa de Pós-graduação em Letras) - Universidade Federal do Tocantins.
Em 2018, a referida pesquisa de Nilsandra Martins de Castro, agora na condição tese para banca de defesa, foi realizada em vinte e quatro do mês de maio mantendo a participação do professor Hiran Possas na banca como avaliador externo.
A professora Dra. Idelma Santiago participou das bancas de defesa de dissertação de mestrado do Program de Mestrado em Estudos de Cultura e Território da Universidade Federal do Tocantins: a) de Elton Negreiros da Silva, com o trabalho “Memórias de uma territorialização na construção do lugar e da paisagem: cultura e modos de viver dos sertanejos da Ribeira”. B) de Giane Lourdes Alves de Souza Figueiredo. Cultura, desterritorialização e reterritorialização: cultura e modos de viver dos narradores do Assentamento Santa Maria, zona rural do município de Piraquê-TO.
A professora Dra. Hildete Pereira dos Anjos, em 2018 participou da banca de defesa de mestrado de Marcondes da Silveira Figueiredo Jr., com o trabalho intitulado “Produção da memória sobre a Guerrilha do Araguaia no documentário "Araguaia Campo Sagrado". 2018. Dissertação (Mestrado em Estudos de Cultura e Território) - Universidade Federal do Tocantins, e da banca de defesa de doutorado de Cristiane Silva de Almeida, com a temática “ As práticas educativas na formação do trabalhador docente no curso de Pedagogia do PARFOR na Universidade Federal do Tocantins”. Campus Araguaína. 2018. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Pará.
O professor Jerônimo Silva e Silva em 2018 participou das bancas de defesa de mestrado e doutorado a seguir: a) de MARIA LEAL PINTO, com o trabalho “ HISTÓRIAS QUE OUVI CONTAR: A GUERRILHA DO ARAGUAIA NAS NARRATIVAS DO POVO DE SANTO DA REGIÃO ARAGUAIA- TOCANTINS”. 2018. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura e Território) - Universidade Federal do Tocantins. B) de MARIANA RIBEIRO DE MATO, com o trabalho “ POLÍTICAS DE DESENVOLVIMENTO E POVOS TRADICIONAIS NA AMAZÔNIA: UM ESTUDO SOBRE A COMUNIDADE REMANESCENTE DE QUILOMBO GROTÃO QUANTO AOS IMPACTOS DA CHEGADA DO EUCALIPTO”. 2018. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura e Território) - Universidade Federal do Tocantins. C) de DAVID DANTAS TARGINO, com o trabalho intitulado “É ASSIM QUE SE APRENDE NO SANTO? UMA ANÁLISE SOBRE TRANSMISSÃO DE CONHECIMENTOS NO TERREIRO DE MATRIZ AFROBRASILEIRA YLÊ AXÉ YAPA OMIM LADÊ EM BOA VISTA - RR. 2018. Dissertação (Mestrado em Sociedade e Fronteiras) - Universidade Federal de Roraima. D) de Eliane Miranda da Costa, com o trabalho “ Memórias em escavações: narrativas de moradores do rio Mapuá sobre os modos de vida, Cultura Material e a preservação do Patrimônio Arqueológico (Marajó, PA)”. 2018. Tese (Doutorado em ANTROPOLOGIA) - Universidade Federal do Pará.
O professor Dr. Airton Pereira dos Reis participou da banca de defesa de mestrado de Cassyo Lima Santos, com o trabalho intitulado “ A luta pela terra e conflitos territoriais no projeto assentamento Joncon/Três Irmãos, Conceição do Araguaia-PA”. 2018. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura e Território - PPGCULT) - Universidade Federal do Tocantins.
O professor Alexandre em 2018, participou de qualificação da Tese de doutorado do discente HÉLIO PASSOS REZENDE, com a temática “RESISTÊNCIA DOS ÍNDIOS GAVIÃO KYIKATEJÊ: por uma educação sócio espacial coletiva. Tese (Doutorado em Arquitetura) - Universidade Federal de Minas Gerais. Participação em banca de ANA CLEIDE DE JESUS CARVALHO, com a temática “MULTIMODALIDADE E TEXTOS PUBLICITÁRIOS EM LIVROS DIDÁTICOS: NECESSIDADES DE MULTILETRAMENTOS. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Mestrado em Letras) - Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará.
O professor Erinaldo Vicente Cavalcanti em 2018 participou das bancas de defesa de mestrado a seguir: a) de Bruno Thiago Tomé, com a temática “ Ensino de História: da prática tradicional ao saber reflexivo”. 2018. Dissertação (Mestrado em Mestrado Profissional em Ensino de História - PROFHISTÓRIA) - Universidade Federal do Tocantins. B) de Kamila Soares de Araujo Coimbra, com a temática “ Políticas repressivas do século XX e consciência histórica: um propositivo didático das aulas de história no Colégio Santa Cruz - Araguaina – TO”. 2018. Dissertação (Mestrado em Mestrado Profissional em Ensino de História - PROFHISTÓRIA) - Universidade Federal do Tocantins.
A professora Célia Regina Congilio participou da banca de defesa de qualificação da Tese de Joyce Cardoso Olimpio Ikeda, com a temática “Imperialismo e Movimento Social na Amazônia”. 2018. Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas da UFMA) - Universidade Federal do Maranhão.
Integração pela professora Nilsa Brito Ribeiro no Comitê Científico do Colóquio em Mídia e Discurso, evento que foi realizado na Universidade Federal do Maranhão, em 2017 e do Comitê Científico do Congresso Brasileiro de Educação Especial. Também, dois docentes do PDTSA (Idelma Santiago da Silva e Airton dos Reis Pereira) compõem o Conselho Científico da atual Diretoria da Associação Brasileira de História Oral. A escolha/eleição aconteceu na Assembleia dos associados realizada em maio de 2016, por ocasião do XIII Encontro Nacional de História Oral, ocorrido entre 1º e 4 de maio de 2016, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre-RS. Dentre outras atividades, o conselho científico será consultado, especialmente em questões atinentes a publicação da Revista Brasileira de História Oral e a organização do XIV Encontro Nacional de História Oral.
Participação no I Simpósio dos Programas de Pós-Graduação na área Interdisciplinar do Norte e na articulação inicial para constituição da Rede Amazônica Interdisciplinar de Programas de Pós-Graduação em Culturas, Territórios e Fronteiras. Cinco (05) Programas de Pós-Graduação, na área interdisciplinar, reuniram-se para a construção de um Doutorado na área interdisciplinar, são eles: Programas de Pós Graduação em Estudos de Cultura e Território (PPGCULT/UFT), Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia (PDTSA/Unifesspa), Sociedade e Fronteira (PPGSOF/UFRR), Programa Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH/UEA), Linguagens e Saberes na Amazônia (PPLSA/UFPA). como resultado desse evento, foram elaborados três (03) documentos: agenda de ações, um termo de convênio de cooperação e uma carta à coordenadora da área interdisciplinar da CAPES. O PDTSA torna-se o primeiro coordenador da Rede. Essa rede está articulada no interior da Rede Amazônica de Pesquisa Interdisciplinar (RAPI). Em novembro de 2017 mais um encontro aconteceu em Marabá, durante a IV Semana Pan Amazônica: diálogo intercultural e Resistência Epistêmica nas Amazônias, e II Seminário de Produção e Incorporação da Interdisciplinaridade, na concepção da pesquisa no programa de pós graduação em dinâmicas territoriais e sociedade na Amazônia. No início do período letivo da 7ª Turma do PDTSA, o Professor Dr. Maxim Paolo Repetto Carreno, membro da Rede e Professor da Universidade Federal de Roraima, ministrou a palestra intitulada “Interculturalidade e educação frente às recentes ameaças contra o exercício dos direitos sociais, na Amazônia Brasileira”.
Publicações em parcerias com outras instituições: “Olhando a educação como um direito”, organizado pela Profa. Hildete Pereira dos Anjos (PDTSA/Unifesspa) com participação de pesquisadores do GEDPPD, da UEFS, UFPA, UFF, UNIFAP, UFSM, UFSCar e UNB.
A professora Célia Regina Congilio participou em bancas de Doutorado na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, intitulada “A política urbana e a extrafiscalidade como estímulo à proteção dos conjuntos urbanos tombados no Brasil”, de autoria de Bruno Soeiro Vieira.
Organizado pela Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação Interdisciplinares – Sociais e Humanidades (ANINTER-SH) em parceira com programas de pós-graduação das Câmaras I, III e IV da área interdisciplinar de avaliação da Capes, foi realizado nos dias 7 e 8 de junho de 2018, no Memorial Darcy Ribeiro, Universidade de Brasília, o I Fórum de Programas de Pós-Graduação Interdisciplinares – I Fórum PGInter. O PDTSA esteve representado pelos professores Hiran Possas (Coordenação), Andréa Hentz (Vice Coordenação) e membro do Conselho Fiscal da Aninter_SH e pela professora do Programa Edma Moreira. Questões como a subjetividades dos critérios avaliativos, participação dos programas nas comissões avaliativas e, acima de tudo, transparência de critérios foram temáticas recorrentes nos debates.
Organizado pela Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação Interdisciplinares – Sociais e Humanidades (ANINTER-SH) em parceira com programas de pós-graduação das Câmaras I, II, III e IV da área interdisciplinar de avaliação da Capes, foi realizado nos dias 12 e 13 de novembro de 2018, na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), o II Fórum de Programas de Pós-Graduação Interdisciplinares (II Fórum PGInter). O evento contou com a participação da professora Dra. Sônia Nair Báo, proferindo a palestra “SISTEMA NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO: AS POLÍTICAS DE AVALIAÇÃO DA CAPES PARA 2020” e o professor Dr. Eduardo Winter (Coordenação-Adjunta de Avaliação da Área Interdisciplinar dos Programas Profissionais), proferindo a palestra “AS POLÍTICAS DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINARES”. O PDTSA esteve representado pela professora Dra. Andréa Hentz de Mello (Vice Coordenadora) e membro do Conselho Fiscal da ANINTER -SH. Debates técnicos e científicos de questões comuns aos programas possibilitaram alguns oportunize esclarecimentos sobre o processo de avaliação da Pós-Graduação no que diz respeito aos seus objetivos, métodos e critérios, e possíveis proposições de mudanças para esses parâmetros.

Fim do conteúdo da página